Sunday, December 14, 2008

O nosso Vale cantado pelo dr. Luciano Carlos de Abreu

Tive ocasião, há já certo tempo, de falar aqui da figura do dr. Luciano Carlos de Abreu. Esse texto está aqui. Mas continha um erro. Felizmente que o sr. José Passos Santos, grande estudioso e interessado na cultura da nossa região, e agora nosso leitor, para além de velho amigo, me alertou para o facto.
Eu tinha referido que a naturalidade do dr. Luciano era Valinho, mas não está, de facto, correcto. Ele viveu, na verdade, desde muito jovem entre o Valinho e Romaride, mas a sua naturalidade é esta última. Lamento o sucedido e, prontamente, procedi à correcção do erro.
Como forma de compensação, deixo agora mais alguma da sua belíssima arte poética, onde fala precisamente das suas raízes. Que pena que este autor não ser mais conhecido e divulgado, sobretudo entre a juventude de todo o Vale Interior.



Oh! Que lindas colinas
Tens tu, Romaride.
São como faces meninas,
Mais suaves que a neve.


Na primavera sorri
A flor do jardim.
Assim tu, Romaride,
Rosa linda donde eu vim.


Que arrabaldes bem postos
Tem Eiras de Sabaio.
Santa Marta em Agosto,
Santo Agostinho em Maio.


Altas serras abaixai.
Quero olhar o meu Vale.
Verei o sol, seu pai,
Pintar belezas sem rival.

3 comments:

Donnola said...

assim de repente n tou a ver quem é o senhor, mas aposto q nasceu numa pequena aldeia beirã :DDDDDD

Jósé Flores Cabaça said...

Efectivamente é de uma aldeia beirã.
Alguns beirões têm tendência para se destacar, não é verdade?

Donnola said...

ai isso já tenho dúvidas